4 maneiras de conseguir um investimento financeiro para seu negócio

5 minutos para ler
Powered by Rock Convert

É provável que uma das buscas que o Google registra com frequência seja “como conseguir investimento para a minha startup?”. Isso pode justificado, por exemplo, em uma pesquisa realizada pelo Sebrae e Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O estudo diagnosticou que aproximadamente 30% das startups não sobrevivem no mercado, e o motivo principal é a dificuldade de obter capital.

Não existe uma receita de bolo para conseguir recursos, já que cada situação tem suas particularidades. Além disso, os investidores têm seus focos e tipos de mercado de interesse. Pensando nesses obstáculos, selecionamos algumas dicas que serão valiosas na hora de encontrar quem possa financiar a sua ideia. Continue com a leitura e confira!

Estude a necessidade e mapeie as possibilidades de investimento

Toda empresa ou startup precisa de um plano de negócios completo e bem elaborado, principalmente se for apresentar um pitch de vendas a um investidor-anjo. Assim, ele entenderá o funcionamento e o processo organizacional, o que vai ajudá-lo a ter uma ideia do tempo de retorno do capital investido.

Mas, antes de uma apresentação a um futuro anjo, é necessário estudar o volume de capital de que você dispõe aplicado no negócio. Também é preciso mapear as possibilidades de fontes de recursos com o mesmo perfil da startup, de modo a ter uma análise segura do que poderá ser feito. Inclusive, tenha atenção aos períodos de crise, porque as negociações financeiras são mais lentas e rigorosas nesses momentos.

Conheça 4 maneiras de como conseguir investimento

1. Financiamento coletivo

Como tudo tem vantagens e desvantagens, o financiamento coletivo traz facilidade, praticidade e ausência de burocracias. O ponto negativo é que se sua meta for elevada, ele não é o melhor caminho.

Mas se o valor for modesto existem plataformas que podem realizar sua campanha para conseguir dinheiro, por exemplo: Catarse, Kickante, Kickstarter e Benfeitoria. Lembre-se, no entanto, que, para ter resultado, é preciso avisar os amigos, divulgá-la nas redes sociais e oferecer uma recompensa para quem contribuir com seu projeto.

2. Incubadoras

As incubadoras oferecem uma série de vantagens, como o espaço físico, assessoria e consultoria, infraestrutura, financiamento, qualificação, networking, acompanhamento e projetos específicos. Porém há desvantagens em relação às dificuldades de cooperação e parceria com outras empresas que também participam da instituição, conseguir financiamento e empréstimo por meio dela etc.

Como as incubadoras têm parcerias com faculdades e universidades, elas abrem oportunidades dentro de sua área para que os alunos promissores e com projetos interessantes possam receber o devido apoio. Mas o Sebrae também pode intermediar as ideias inovadoras das pessoas e empresas. De qualquer maneira, o interessado deve procurar a incubadora que faz parte do seu setor de atuação na sua cidade para saber como deve proceder.

3. Bancos e programas governamentais

Antes de adquirir um empréstimo é preciso avaliar os pontos positivos e negativos que essa transação trará. A parte boa é que a liberação do dinheiro acontece rapidamente, os juros são menores que no cheque especial e a aprovação acontece mesmo com o nome negativado. Por outro lado, o empréstimo pessoal tem taxas de juros altas e, por ser crédito fácil, é preciso ter cuidado para não contratar um valor que esteja além do necessário.

Já se for tentar os programas governamentais, há restrições e limitações que podem onerar a startup. Diante disso, pesquise as condições exigidas por cada banco e qual o programa de incentivo que mais se adequa às suas necessidades. Para fazer parte de um deles, acesse o site da CERTI, que é o portal do empreendedor, para obter as informações corretas.

4. Investidores-anjo

Você deve se atentar ao investidor-anjo, pois, além de poder ter um alto custo, é possível que ele limite os lucros futuros. Mas nem tudo são espinhos, eles também apresentam excelentes vantagens, como fornecer capital para começar a sua empresa, assumir os riscos, ter contratos mais flexíveis e, ainda, auxiliar no networking.

Outro fator importante é o tempo dedicado, mesmo que remotamente, pois eles investem seus esforços pessoais para ao bom desempenho do negócio. Além de contribuir para abertura de mercado e infraestrutura, se for necessário.

Para encontrar o seu investidor-anjo, uma boa dica é buscar informações no portal GVAngels. Além de ter vários conteúdos sobre o assunto, eles são intermediadores entre empresários e investidores.

Agora que você já sabe como conseguir investimento para sua startup, o último passo é contar com a expertise de quem tem experiência no assunto. A GVAngels oferece serviços de produto e tração, valuation e ticket, mercado e time. Entre em contato conosco e conheça mais sobre os investidores-anjo.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-